PM apreende 90 máquinas caça-níqueis no último mês em Londrina

PARCEIROS DO SITE


 

PM apreende 90 máquinas caça-níqueis no último mês em Londrina

PM apreende 90 máquinas caça-níqueis no último mês em Londrina — Foto: Reprodução/RPCUma lei criada no Brasil no final da década de 90 autorizou a exploração de máquinas caça-níqueis. Mas, no início dos anos 2000 a lei foi revogada e por mais de uma década proprietários conseguiram liminares para continuar funcionando. Em 2012, a exploração desse tipo de máquina passou a ser considerada crime.No último mês, 90 equipamentos foram apreendidos em Londrina somente pela 4ª Companhia da Polícia Militar, que coordena da região norte."Quase todas as máquinas apreendidas são oriundas de denúncias feitas pela própria comunidade. Algumas pessoas são lesadas, perdem o seu dinheiro. Os familiares dessas pessoas, que perderam muito dinheiro, denunciam os locais onde esse tipo de prática ocorre", explicou o Capitão Ricardo Eguedes.Não é difícil encontrar essas máquinas em Londrina, a maioria funciona nos fundos de algum comércio legalizado.Um proprietário de um bar, que foi alvo de fiscalização da polícia, diz que o movimento no local diminuiu muito depois de máquinas terem sido apreendidas. 
"Essas máquinas ajudavam muito no faturamento do bar, no final do mês rendia um lucro bem interessante pra gente", diz o homem que não quis se identificar.Um operador do sistema, que faz a ligação entre a empresa donas das máquinas e os estabelecimentos comerciais que recebem os caça-níqueis, conta como que o sistema funciona na cidade. "Trabalho diretamente com 28 clientes, quatro grupos trabalham em Londrina. O nosso grupo trabalha com 80 clientes. Uma máquina dessa custa em torno de R$ 2.500, e são montadas no Brasil. Geralmente, quem joga nesse equipamento, é homem, que tem entre 26 e 55 anos", contou o homem que não foi identificado por questões de segurança.
Os donos de estabelecimentos comerciais onde essas máquinas foram apreendidas precisam se explicar à Justiça.Podem receber uma condenação de até dois anos de prisão, mas em caso de reincidência essa conduta é agravada.

Postar um comentário

0 Comentários