Explosões nos arredores do aeroporto de Cabul matam ao menos 60 pessoas

PARCEIROS DO SITE


 

Explosões nos arredores do aeroporto de Cabul matam ao menos 60 pessoas

 Duas explosões nos arredores do aeroporto de Cabul, no Afeganistão, deixaram ao menos 60 mortos e cerca de 140 feridos, de acordo com informações de funcionários do ministério da saúde do país dadas à CNN.

Vários guardas do Talibã também foram atingidos e estão entre os feridos, afirmou uma autoridade do grupo islâmico à agência ReutersPelo menos 12 militares dos Estados Unidos estão entre os mortos no ataque e 15 ficaram feridos, segundo informou o general Kenneth “Frank” McKenzie em um pronunciamento.

Três fontes do governo dos Estados Unidos ouvidas pela CNN relataram que a primeira explosão ocorreu em um dos portões de acesso ao aeroporto.

Em uma mensagem na rede social, o secretário de imprensa do Pentágono, John Kirby, afirmou que uma segunda explosão foi registrada no Baron Hotel ou próximo a ele — um complexo que fica perto do aeroporto.

“Podemos confirmar que a explosão no Abbey Gate foi o resultado de um ataque complexo que resultou em várias vítimas americanas e civis. Podemos também confirmar pelo menos uma outra explosão no Baron Hotel ou próximo a ele”, escreveu o secretário do Pentágono.

Veja a área onde ocorreram os ataques:

/ Reprodução/CNN

Autoria do ataque

Os países ocidentais alertaram sobre uma ameaça de militantes do Estado Islâmico Khorasan, também chamado de Isis-K, um inimigo em comum dos Estados Unidos e do Talibã.

Horas após os ataques, o Isis-K assumiu a responsabilidade, disse a Agência de Notícias Amaq, em seu canal no Telegram.

O porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid, afirmou que o grupo islâmico condena veementemente os ataques ao aeroporto. “O Emirado Islâmico do Afeganistão está prestando muita atenção à segurança e proteção de seu povo, e os círculos malignos serão estritamente interrompidos”, escreveu no Twitter.

Biden faz reunião após ataques

Funcionários da Casa Branca disseram que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, foi informado sobre o ocorrido na capital afegã. Após o ataque, Biden participou de uma reunião com autoridades de segurança sobre a situação no Afeganistão.

Imagens desta quinta-feira (26) antes da explosão mostravam centenas de pessoas nos arredores do Aeroporto Internacional Hamid Karzai ainda tentando acessar o complexo para deixar o país. Funcionários do governo dos Estados Unidos e de países aliados informaram nas últimas horas que tinham informações dos serviços de inteligência sobre ameaças de ataques contra o aeroporto da capital afegã.

Os países ocidentais alertaram sobre uma ameaça de militantes do Estado Islâmico Khorasan. “Nossos guardas também estão arriscando suas vidas no aeroporto de Cabul, eles também enfrentam uma ameaça do grupo do Estado Islâmico”, disse um membro do Talibã, que falou sob condição de anonimato antes dos relatos da explosão.

EUA emitem alerta de segurança para área do aeroporto

Após a primeira explosão nos arredores do aeroporto, a embaixada dos Estados Unidos em Cabul emitiu um alerta recomendando que os cidadãos do país evitem se locomover em direção ao local do ataque.

“Houve uma grande explosão no aeroporto e há relatos de tiros”, disse o alerta de segurança. “Os cidadãos norte-americanos devem evitar viajar para o aeroporto e evitar os portões do aeroporto neste momento.”

Reino Unido tenta confirmar gravidade da situação

Após relatos da primeira explosão, o Ministério da Defesa da Grã-Bretanha disse que trabalha com urgência para apurar o que aconteceu no aeroporto de Cabul. “Estamos trabalhando com urgência para estabelecer o que aconteceu em Cabul e seu impacto no esforço de retirada de pessoas em andamento”, disse o ministério da defesa no Twitter.

Segundo as autoridades, militares britânicos ou membros do governo não estão entre as vítimas das explosões. “Nossa principal preocupação continua sendo a segurança de nosso pessoal, dos cidadãos britânicos e dos cidadãos do Afeganistão. Estamos em contato próximo com nossos aliados dos EUA e da [Organização do Tratado do Atlântico Norte] Otan em nível operacional na resposta imediata a este incidente.”

Downing Street confirmou à CNN que o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, deve presidir uma reunião de emergência com membros do governo ainda nesta quinta-feira (26). Após os ataques, o Reino Unido emitiu um aviso pedindo que as companhias aéreas evitem o espaço aéreo afegão.

Postar um comentário

0 Comentários