Vigilante morre e outro fica ferido após discussão dentro de um banco em Porecatu

PARCEIROS DO SITE


 

Vigilante morre e outro fica ferido após discussão dentro de um banco em Porecatu

  Vigilante morre e outro fica ferido após discussão em uma agência da Caixa Econômica Federal — Foto: Reprodução/RPCUma discussão entre dois vigilantes de uma agência da Caixa Econômica Federal em Porecatu, no no norte do Paraná, terminou com um deles gravemente ferido e outro morto, nesta quinta-feira (2). A situação aconteceu por volta das 7h15, antes da abertura do banco.

Dois funcionários que presenciaram a situação, uma zeladora e outro vigilante, contaram às polícias Militar e Civil que os dois vigilantes começaram a discutir e que um deles sacou a arma funcional e atirou contra o colega. As testemunhas não souberam informar qual foi o motivo da discussão.

Segundo a Polícia Militar (PM), após ser ferido por três tiros, Adalton José Xavier, conseguiu sair de dentro da agência e pediu ajuda. Enquanto os policiais realizavam o primeiro atendimento, a vítima que estava consciente contou que o autor dos disparos ainda estava no banco.

Os militares entraram na agência e encontraram Ronaldo Alves de Araújo sentado em uma sala onde ficam os motores dos aparelhos de ar condicionado com um tiro na cabeça. Para a polícia, foi o próprio vigilante que realizou o disparo.

"Vamos buscar imagens para tentar entender o que aconteceu. Os dois trabalhavam há muitos anos juntos na agência, eram amigos, e também eram conhecidas por toda a população de Porecatu", disse o delegado Elisandro de Souza Correa.

Adalton José Xavier foi levado ao hospital Municipal de Porecatu e depois transferido ao Hospital Universitário de Londrina (HU). Conforme o hospital, o vigilante ferido é atendido no pronto socorro cirúrgico do hospital.

A zeladora, uma das testemunhas dos fatos, está grávida e precisou ser levada ao hospital por ter ficado muito abalada.

O corpo do vigilante morto foi levado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Londrina.

Postar um comentário

0 Comentários