Fiocruz negocia entrega de 180 milhões de doses de vacina contra Covid para 2022

PARCEIROS DO SITE


 

Fiocruz negocia entrega de 180 milhões de doses de vacina contra Covid para 2022

  Segundo a Fiocruz, as tratativas encontram-se na fase final de formalização

Em resposta a um ofício encaminhado pela CPI da Pandemia, a Fiocruz informou que acordou com o Ministério da Saúde a entrega de 120 milhões de doses da vacina contra a Covid-19, com previsão de distribuição ao longo do primeiro semestre de 2022.

A fundação informou ainda que, para o segundo semestre do ano que vem, “a depender da evolução da situação sanitária do país”, a entidade já está negociando com o Ministério da Saúde a opção de fornecimento de mais 60 milhões de doses.

Segundo a Fiocruz, as tratativas encontram-se na fase final de formalização. O ofício direcionado à Fundação partiu de um questionamento apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues, solicitando “esclarecimentos sobre tratativas mantidas com o Governo Federal brasileiro para fornecimento, no ano de 2022, de vacinas/imunizantes contra a Covid-19, incluindo a situação em que se encontram os eventuais acordos firmados”.

Vale lembrar que a instituição ainda tem cerca de 70 milhões de doses que já foram contratadas e seguem pendentes de entrega para esse ano. À CNN, a Fiocruz informou que a previsão é de que essas doses sejam entregues até o final de 2021.

Segundo o Ministério da Saúde, além das doses, há uma negociação em andamento com a Pfizer para um novo contrato de aquisição de 100 milhões de vacinas e opção de compra de mais 50 milhões de doses para serem entregues no ano que vem.

A pasta também informou à CPI que trabalha com três diferentes cenários de vacinação no país para 2022, mas que aguarda a conclusão “de estudos ainda em curso para definir o esquema vacinal para o ano de 2022”.

O primeiro cenário prevê a necessidade, para 2022, de 391.799.383 de doses aplicadas, mantendo o esquema atual de 2021. Seriam vacinas para finalizar as duas doses entre pessoas de 12 a 17 anos (estimativa de 35.754.740 de doses) e pessoas entre 18 e 59 anos (258.563.348 doses estimadas); aplicação da dose de reforço em pessoas de 60 a 69 anos (estimativa de 53.581.332 de doses) e pessoas de 70 a 90 anos (estimativa de 43.899.963 de doses).

O segundo cenário a previsão é da necessidade de 179.652.809 doses da vacina contra a Covid-19. Neste caso, seriam aplicadas apenas as doses de reforço em pessoas a partir dos 12 anos.

No terceiro cenário, a Saúde trabalha com a hipótese de aplicar a dose de reforço na população de até 59 anos e mais uma dose por semestre na população maior de 60 anos. Nesta situação, seriam necessárias a aplicação de 212.146.574 de doses.

Postar um comentário

0 Comentários