CPI afasta prefeito, secretários e chefe de gabinete de Contenda para investigar denúncias de irregularidades

PARCEIROS DO SITE


 

CPI afasta prefeito, secretários e chefe de gabinete de Contenda para investigar denúncias de irregularidades

 




Uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal de Contenda, na Região Metropolitana de Curitiba, decidiu afastar, nesta quarta-feira (17), o prefeito, três secretários e o chefe de gabinete da prefeitura para investigar denúncias de irregularidades na administração do município.

De acordo com a denúncia, há suspeita de nepotismo, fraude na contratação de um barracão, utilização de espaço público para realização de atividades particulares e ameaça a um vereador.

Foram afastados por 60 dias o prefeito Antônio Adamir Digner, conhecido como Mostarda (PSL), a primeira-dama e secretária de Promoção e Assistência Social Angela Digner, a secretária de Finanças Simone Polak, o secretário de Governo Emanoel de Souza, e o chefe de gabinete Abrilino Fernandes Gomes.

Segundo a Câmara Municipal, os agentes públicos ficam afastados das funções para o aprofundamento das investigações. Ao final do período, a CPI apresenta um relatório propondo o afastamento ou não dos investigados.

Até o fim deste prazo, o vice-prefeito Carpejani assume a prefeitura de Contenda.

Denúncias


Segundo o relatório preliminar, que acatou a investigação, são quatro denúncias diferentes.

Uma das denúncias aponta a suspeita de nepotismo na contratação de funcionários sem qualificação técnica para os cargos. São a esposa do prefeito, o sobrinho dele e a esposa do sobrinho dele.

Outra trata da contratação de um barracão pela prefeitura. Segundo a comissão, há a suspeita de fraude na licitação. O terreno contratado pela atual gestão é menor e mais caro que outro imóvel usado anteriormente para o armazenamento de veículos da prefeitura.

A contratação foi feita com dispensa de licitação e, segundo a denúncia, o terreno pertence aos tios de uma das secretárias investigadas.

Há ainda duas denúncias relacionadas ao chefe de gabinete da prefeitura.

Uma delas aponta que ele usou o gabinete para realizar uma transmissão de um programa de rádio, durante o horário de expediente. A outra denúncia diz que ele mandou um áudio para o presidente da Câmara realizando ameaças sobre um projeto de lei que não foi aprovado pelos vereadores.

O que dizem os citados


O prefeito de Contenda, Mostarda, lamentou a decisão da CPI e negou as acusações.

Ele afirmou que não há irregularidade nas contratações e "que isso inclusive ocorre em diversos municípios o mesmo em Contenda em gestões anteriores".

Sobre a contratação do barracão, ele disse que foram feitas negociações para manter o antigo terreno contratado, mas que não houve acordo. Ele também disse que o local antigo não tinha condições de trabalho e tinha riscos de desabamento.

"Uma Dispensa de Licitação foi realizada, como manda a lei, e um novo local foi contratado sem qualquer indicação ou direcionamento, ficando isto unicamente a cargo da Comissão Avaliadora", afirmou.

Em relação ao chefe de gabinete, o prefeito afirmou que "foi um fato isolado e que não causou qualquer prejuízo ao erário público".

O chefe de gabinete Abrilino Fernandes Gomes confirmou que realizou esta e outras transmissões de rádio do gabinete, mas que fez "com o objetivo de promover o município".

Ele negou que tenha feito ameaças ao presidente da Câmara e disse que as denúncias são parte de uma "briga política" no município.
Fonte: G1

Postar um comentário

0 Comentários