37 CRIANÇAS RECEBEM VACINA DA COVID ERRADA EM PRIMEIRO DE MAIO, NO NORTE DO PR

PARCEIROS DO SITE


 

37 CRIANÇAS RECEBEM VACINA DA COVID ERRADA EM PRIMEIRO DE MAIO, NO NORTE DO PR

37 crianças recebem vacina da Covid errada em Primeiro de Maio, no norte do PR
Vacinas pediátricas chegam ao Paraná e serão distribuídas nesta quarta-feira - Curitiba, 26/01/2022 (Foto: Danilo Avanci / Sesa)

 37 crianças de 5 anos receberam doses erradas da vacina contra a Covid-19 em Primeiro de Maio, município que fica no norte do Paraná, a 60 quilômetros de Londrina. Elas deveriam ter recebido doses do laboratório Pfizer. Porém, no lugar disso, foram imunizadas com Coronavac.

Conforme o indicado pelo Ministério da Saúde e liberado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), crianças de 5 anos deve ser vacinadas apenas com a Pfizer pediátrica. A Coronavac pediátrica é liberada somente para crianças a partir dos 6 anos.

As aplicações ocorreram no dia 11 de fevereiro. Quando percebeu o erro, no dia 18 de fevereiro, a Secretaria Municipal de Saúde de Primeiro de Maio informou a 17.ª Regional de Saúde do Paraná. Desde então, as 37 crianças passaram a ser monitoradas. Apesar disto, as crianças não apresentaram, até o momento, nenhuma reação adversa. Elas permanecerão sendo monitoradas até completar um período de 30 dias de observação.

Providências

Além de monitorar as crianças, a prefeitura de Primeiro de Maio informou que afastou três servidores municipais que teriam atuado diretamente nas aplicações erradas. Também disse que já abriu processo administrativo para apurar responsabilidades.

O município já imunizou 430 crianças, o que corresponde a 50% da população vacinável na faixa dos 5 aos 11 anos.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) enviou nota sobre o caso e relatou que a cidade recebeu notificação. Confira na íntegra:

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informa que o município de Primeiro de Maio aplicou 37 doses pediátricas de CoronaVac em crianças de 5 anos no dia 11 de fevereiro, reportando a situação para a 17ª Regional de Saúde de Londrina no dia 18 de fevereiro.
O caso é considerado como erro de imunização visto que este fabricante possui, neste momento, liberação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aplicação em crianças com 6 anos ou mais. O município informou que abrirá processo administrativo para apurar a responsabilidade.
A cidade foi notificada pela Sesa e monitora, junto com o Estado, qualquer possível reação adversa que as crianças possam apresentar no período de 30 dias. Todos que receberam a dose pediátrica do Instituto Butantan estão bem e sem intercorrências.
Ressaltando que a secretaria distribui os imunizantes enviados pelo Ministério da Saúde, mas quem aplica as doses são os municípios. A pasta acompanha todos os eventos adversos pós vacinação e erros de imunização, os quais devem ser notificados, no sistema de informação eSUS Notifica, conforme legislação vigente.

Postar um comentário

0 Comentários